Ontem foi o terceiro dia de competições do Engenharíadas Paranaense. Além das semi-finais, rolou também os desafios. Se alguém pediu por emoção, foi atendido. Entre muitos atrasos por conta de regras de arbitragem e emoções a flor da pele em uma partida com mais de 2o pênaltis cobrados, o EP de ontem deixou todos em lágrimas.

Com um atraso de mais de uma hora, os desafios começaram pelos Cheerleaders. Os Bisetes não se apresentaram, mas levaram o ginásio lotado às lágrimas. A mãe de uma das competidoras faleceu na semana do EP e, por isso, eles desistiram da competição, mas foram aplaudidos de pé e com muito amor.

Houveram erros, acertos, acorbacias perfeitas e muitos voos. Mas, novamente, o desafio de cheer’s fez quem assistia chorar. Na festa de sexta-feira, um integrante dos Cheerleaders da Epidemia foi brutalmente espancado por, até então, desconhecidos, e teve que ser substituído de última hora, sem contar em outro desfalque da equipe de um integrante que havia se machucado. Mesmo assim, Epidemia arrasou!

No final rolou aquela foto integração maravilhosa para então partir para o desafio de baterias. Foi, com certeza, um momento mágico e inesquecível para todos que assistiam. A cada finalização das baterias, gritos de amor, da torcida e de cada integrante à sua atlética, eram inevitáveis. O Loveríadas transformou a vida de todos nesse sábado.

E, para fechar a noite com chave de ouro, nosso mito/monstro, Alê Oliveira abriu o Show no Inimigos da HP com várias frases marotas e que a Dona Encrenca não queria que ele falasse. O Alê super elogiou o EP e o Inimigos também.

Hoje nós esperamos pelos jogos finais e os grandes camepões desse EP maravilhoso. Amanhã vocês irão descobrir quem ganhou em cada modalidade, no geral, nos cheers e nas baterias. Fiquem ligados aqui no Integraê porque os jogos ainda não acabaram.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here