E SE A ATLÉTICA VIRAR PROFISSÃO? 5 OPÇÕES PARA TRILHAR SUA VIDA PROFISSIONAL DE ACORDO COM SUAS ÁREAS FAVORITAS DA AAA.

Não é novidade que ser parte da gestão de uma atlética muitas vezes tem que ser sinônimo de saber inovar. Entrar de cabeça em projetos que jamais imaginaríamos, precisar lidar com gente dos mais diversos setores, ter que aprender na marra a executar projetos. Todos esses desafios trazem valiosas lições e podem vir a diferenciá-lo dos demais em sua vida profissional. Mas e quando a atlética e sua vida profissional se entrelaçam um pouco mais? Não consegue imaginar? Se liga nessas possibilidades (que não estão dispostas aqui com longos e precisos conceitos técnicos, mas de forma simples pra permitir grandes sacadas) então:

1- O Mercado de Esportes

Mais óbvia associação feita com atléticas, o esporte move o brasileiro (e movimenta quantidades massivas de dinheiro, em números absolutos). É uma área muito democrática: dos conhecimentos extremamente específicos dos médicos esportivos e advogados militantes, do direito desportivo ao democrático exercício dos cargos eletivos em federações e times, passando pelos cargos administrativos, analistas técnicos, treinadores. São inúmeras possibilidades para ingressar no mercado – algumas remuneradas, outras voluntárias, em times profissionais, amadores ou em categorias de base – havendo sempre espaço para os que se interessam. Se você curte as atividades que desempenham os diretores de esportes (melhor diretoria) das  atléticas, talvez esse seja o caminho pra você.

2- Os “Mercados de Suporte

Aqueles que lidam diretamente com os trabalhos de uma atlética sabem o quanto uma boa estrutura e um bom planejamento fazem parte da fórmula do sucesso. Por que não utilizar todo o aprendizado adquirido ao longo dos anos para auxiliar nos processos de gerência da associação? Desenvolver novas tecnologias que possam facilitar a gerência dos processos, ensinar e facilitar a coordenação de projetos. A capacidade de se adaptar às situações e buscar sempre a maior eficiência é a principal característica de quem se dá bem nesses segmentos. Dá para fazer de tudo um pouco, podendo adaptar seu produto ou serviço para que se encaixe nos mais diversos ramos, dos clubes desportivos aos grandes hospitais.

3- O Mercado de Eventos

Essa é a área pro pessoal que corre atrás das distribuidoras com preços mais acessíveis, que quebra a cabeça pra encontrar o local com melhor custo-benefício, que faz longas contas matemáticas pra mensurar as quantidades ideais de cada coisada cerveja ao número de banheiros. O mercado de eventos é bastante diversificado e pode render grandes lucros àqueles que sabem como nele se atua. Se você consegue ganhar uns trocados pra atlética fazendo todo o planejamento de uma festa, o que te impede de produzir eventos para clientes (e ganhar uns trocados pra você)? Dos formais eventos corporativos aos inesquecíveis jogos universitários, o planejamento é essencial e segue etapas bastante semelhantes.

4- O Mercado de Publicidade e Propaganda

Aqui é o espaço pra galera com grande criatividade, capacidade de comunicação diferenciada e habilidades no photoshop (filtros do instagram não contam). Se a propaganda é a alma do negócio, nada mais nobre que dar vida e emoção às ideias de seus clientes. Desafio é a palavra chave para quem quer atuar nesse ramo, mas a sensação de dever cumprido ao ouvir os agradecimentos do cliente e os comentários positivos sobre um projeto bem sucedido fazem tudo valer a pena.

5- A Política

Por fim, temos aqui a ovelha negra das atléticas. Aquela que muitas vezes é vista como forma de burlar a meritocracia, como ambiente que tira cargo dos que mais merecem para dar aos que sabem dançar conforme a música, a política é parte essencial em qualquer ambiente democrático e não se contrapõe à eficiência. Ser político não quer dizer burlar as regras, ser espertalhão ou ser corrupto. Ser político é saber gerenciar demandas, conseguir negociar, buscar sempre atender as necessidades dos seus representados com o menor dispêndio possível. Em um país de tantas disparidades, precisamos daqueles que busquem o melhor para o seu povonão por status ou auto-satisfação, mas por questões morais. É preciso que se acredite no trabalho, não se trata aqui (e nem deve se tratar) de realizações pessoais. Se vemos nos altos cargos das atléticas esperança de um bom trabalho e prosperidade, nada mais justo que sonhar em um dia termos essa esperança no futuro do nosso país.

E aí, qual caminho você vai seguir?

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here