Há algumas semanas, tivemos um dos textos do Integraê que falava sobre os campeonatos InterAtléticas e seu planejamento, o que deve ser feito e quais são os pontos fundamentais para sua estruturação e sucesso, entre esses pontos está o chaveamento que muitas vezes é deixado de lado e tratado como secundário, apenas algo protocolar e sem tanto peso, mas que é importantíssimo quando quer se montar um campeonato equilibrado e atraente, tanto para as equipes quanto para o público.

Neste texto, seguem algumas dicas do que pode ser considerado para promover um chaveamento que torne a competição ainda mais interessante, pois apesar de tudo – festas e integração, principalmente – que um torneio InterAtléticas pode oferecer, o objetivo fundamental ainda é a disputa esportiva.

  1. Equilíbrio

Assim como todo bom campeonato, o equilíbrio na disputa é importantíssimo para manter a competição viva do início ao fim e não gerar desinteresse aos envolvidos durante a competição. Formas para garantir isso não faltam e a mescla entre equipes mais fortes e mais fracas deve acontecer.

Para garantir essa boa divisão, é interessante considerar o retrospecto das equipes na competição em questão, utilizando como base a classificação do último ano ou dos últimos dois/três anos para estruturar quais são os níveis em que cada equipe – lê-se EQUIPE e não Atlética, pois pode haver um time já consolidado e em altíssimo nível em uma modalidade e outro ainda se encontra em estágios iniciais e em outro nível na mesma instituição, portanto deve-se considerar o retrospecto por modalidades e não pelo desempenho geral.

Pode-se dividir as equipes por níveis e montar diferentes potes para definição da posição de cada um no chaveamento, seja para a formação de grupos ou para a formação de fases eliminatórias.

  1. Sistema de disputa

O objetivo das competições são os títulos, mas muitas Atléticas disputam alguns torneios com o objetivo preparatório, seja por não terem condições de vencer aquela competição por algum motivo e/ou por disputarem uma competição mais importante logo em seguida e encontrarem nessa a oportunidade de se prepararem bem para a disputa futura.

Portanto, é importante que o torneio tenha um calendário interessante e que permita que TODAS as equipes tenham um número de jogos mínimo, desde as mais fortes e favoritas aos títulos até as que só estão no torneio apenas para ganhar experiência. A composição de torneios com fases iniciais com grupos ajuda nesse objetivo e pode garantir um número mínimo de partidas para cada equipe disputar na competição. Verificar as datas disponíveis para o torneio é imprescindível neste processo, assim pode-se definir quantas equipe podem ser incluídas no torneio para que a disputa se mantenha em um bom nível e não deixem participantes de lado.

Esse número mínimo de jogos também é um atrativo para que as equipes queiram disputar a competição, pois como existem gastos financeiros com o evento, um tiro no escuro – jogar sem ter nenhuma perspectiva de avançar de fase e para ser eliminado na estreia – pode afastar possíveis interessados que não veem no torneio chances de título ou oportunidade de preparação.

  1. Credibilidade

O equilíbrio só existirá e o sistema de disputa só será válido se a estrutura do torneio for confiável e houver credibilidade na montagem da competição. Assim, é importante que o regulamento esteja bem claro e as Atléticas participantes tenham total ciência do que será considerado durante a competição.

Definições dos sistemas de disputa, sejam por ranking, sorteio ou qualquer outra forma devem estar bem claros, assim como os critérios de classificação e desempate, além do calendário prever as possíveis datas de disputa ao longo do torneio. Não significa que nada diferente do projetado ocorrerá ao longo da competição, mas há uma base para evitar fraudes e infortúnios entre os participantes.

Se cada Atlética participar deste processo de estruturação e considerar além do que é bom para si, o que é bom para o crescimento do torneio, tudo tende a correr bem e o chaveamento ser o melhor possível.

Além disso,

Cada vez se investe mais na transmissão do chaveamento e aproximação deste momento ao público, reproduzindo um pouco do que é feito no esporte profissional, quando chaveamentos como da UEFA Champions League ou Copa do Mundo são aguardados e conseguem altos índices de audiência. É mais uma das formas de atrair o público ao torneio e conseguir parceiros para vincularem suas marcas. O chaveamento tende a estruturar a parte esportiva, mas também pode atrair torcedores e parceiros. Parece pouco inicialmente, mas o processo de chaveamento é muito mais que sortear meia dúzia de bolinhas.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here