Foto: Carlos Henrique Soares & Vitória Avelino / QU4RTO STUDIO

Neste dia separado para homenagear as mulheres, poderíamos conversar sobre o universo feminino e dar adjetivos que descrevam as pessoas que mais amamos. No Facebook, por exemplo, é possível ser bombardeado por uma mensagem de “parabéns, mulher“, em menos de 30 segundos. Nós agradecemos as lembranças e homenagens, mas queremos mais que isso e buscamos por conscientização.

Hoje, várias atléticas são formadas também por mulheres. Elas estão nos esportes, nas comunicações, nas finanças e até no cargo mais alto: a presidência. O que muitos não sabem ou fingem não saber é que elas, possivelmente, foram assediadas em algum momento da vida. Talvez o primeiro assédio tenha ocorrido bem antes de iniciarem a vida acadêmica e encontraram no novo ambiente um comportamento hostil, novamente.

Se você é mulher e leu até aqui, sabe muito bem do que estamos falando. Andar na faculdade com uma roupa de pré-balada é sinônimo de “fiu fiu”, olhares e discursos que objetificam nossos corpos. Frequentar cervejadas, beber e ser incomodada por aquele carinha que não entende o primeiro não, é algo comum, mas não deveria. Mulher pode fazer o que quiser, ir onde quiser, usar o que quiser e, muito mais que isso, mulher é livre para o que quiser!

Por isso, estamos aqui para falar da importância de respeitar mulheres. Vivemos em uma sociedade machista e a postura coletiva das atléticas perante às relações abusivas tem que acontecer. Se você presenciar alguma atitude agressiva durante os eventos, meta a colher, sim! Divulguem notas, façam campanhas de conscientização e não se esqueçam, denuncie.

As atléticas podem mudar o mundo e vocês sabem disso, e porque não aproveitamos para começar a mudar em pontos que precisam da atenção da sociedade? Os jogos, infelizmente, ainda possuem muito machismo, muito assédio (seja de qualquer tipo de grau), muitas meninas que sofrem por usar uma roupa ou curtir às festas. Que tal usar esse dia e todos os outros para mudar o pensamento dos seus associados na AAA? Faça campanhas, busquem sempre o respeito, pense nas mulheres que estão dentro da sua Atlética.

Foto: Carlos Henrique Soares & Vitória Avelino / QU4RTO STUDIO

Comece isso logo, nunca é tarde demais para fazer a diferença! E antes de tudo: feliz dia da mulher, que é dona da sua própria vida. ♥

Dica do dia:

  1. Viu a mina bêbada nos jogos? Dá uma ajuda, pede uber/táxi pra ela, dá água, coloca ela em um sofá, cobre ela se precisar!
  2. A mina tá com roupa curta? Então respeita, se ela se sente confortável quem é você pra julgar? Elogia, o corpo dela é lindo.
  3. Ela te disse não? Então não enche o saco, agradece pelo papo e cai fora. Tem tanta gente no mundo, beijo pra você não vai faltar.
  4. Foi traída? Não tem motivos pra xingar a mina. Talvez ela nem saiba, o responsável é apenas e só apenas o marmanjão embuste. Se quiser tirar satisfação é com ele.
  5. Não sinta raiva da atual do seu ex e vice-versa. Para que tanto ódio gratuito por alguém que tá seguindo o baile?
  6. “Gostosa”, “ai se eu te pego”, “no jogos você não escapa”, “fiu fiu”: não são elogios, é assédio.
  7. Não precisa rebaixar a garota pra se sentir melhor que ela. Seja solidária e se coloque no lugar.
  8. Você não é dono dela pra dizer o que ela pode ou não pode fazer, tá?
Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here