Foi-se o tempo em que treinar apenas as quatro tradicionais modalidades coletivas garantia uma boa colocação geral nos Jogos. Com atléticas cada vez maiores, cifras mais generosas e a tradicional integração, as novas modalidades têm levantado a torcida, atraído novos perfis de atleta e definido campeões gerais. Fiquem ligados em algumas dessas modalidades, que estão chegando com tudo nas passarelas de Milão.

Peteca

Em alguns jogos, essa modalidade já é mais velha que formando de engenharia. Isso não tira, contudo, seu brilho único. Não é raro encontrar atléticas que mantém treinos, ainda que esporádicos, de peteca para tentar minar alguns pontos na classificação geral. Por ter regras relativamente simples e não exigir grandes gastos com estrutura ou muitos praticantes em quadra, as atléticas costumam contar com jogadores de alto nível técnico, que proporcionam verdadeiros espetáculos para a torcida.

Rugby

Esporte injustamente considerado bárbaro por boa parte dos brasileiros, o Rugby tem ganhado cada vez mais espaço no meio universitário. Costuma ser praticado em sua variação com 7 pessoas, não raro em sua versão de contato reduzido. Misturando condicionamento físico, estratégia e talento, chama a atenção daqueles atletas que buscam grandes desafios. Fato curioso sobre a modalidade é que, embora esteja em franca expansão pelo país, há registro de times universitários tradicionais, que protagonizam rivalidades icônicas (a exemplo da Mac-Med).

E-Sports

Dotinha, Fifinha, Lolzinho… Antes tratados como piada pelas diretorias de esportes de várias atléticas, os chamados esportes eletrônicos ganharam espaço e hoje são uma realidade. Como são campeonatos realizados, muitas vezes, integralmente online, é raro ver grande mobilização por parte da torcida para acompanhar os times. A possibilidade de contar com jogadores que não viajarão para os jogos e a atração de um perfil de estudante que, mais das vezes, não se envolvem com a atlética compensam esse possível ponto negativo.

 

Poker

Rafael Nadal. Maurren Maggi. Michael Jordan. Neymar. Sabe o que todos esses atletas têm em comum? Não é o extrato bancário privilegiado, nem o reconhecimento em seus respectivos esportes. O que os aproxima, além da honra de serem lembrados aqui, no maior portal de atléticas (me contratem), é o poker. Muitas vezes realizados em parceria com sites especializados, os campeonatos dessa modalidade costumam mobilizar grande quantidade de pessoas – fazendo com que algumas atléticas tenham de realizar seletivas internas, a depender do número de vagas disponível nos Jogos.

Cabo de Guerra

O menos conhecido da lista é, sem sombra de dúvidas, um dos mais emocionantes. Apesar de ter toda uma técnica e regras não muito conhecidas, ver seu time literalmente arrastar o time adversário para a derrota, mexe com a paixão da torcida. É um esporte que tem potencial para ser o ponto alto dos jogos, decidindo o campeão geral em uma praça esportiva lotada de torcedores. Manejado corretamente no planejamento esportivo dos Jogos, pode ser um grande diferencial para o evento.

Além dessas, quais outras modalidades vocês acham que estão vindo para dar um novo gás aos jogos universitários? Quais modalidades já têm história na sua atlética. Conta aí pra gente!

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here