Chega Natal mas não chega Junho, é isso mesmo produção? O post de hoje pode ser reduzido em uma palavra: ansiedade. E o que eu vou escrever aqui é só pra compartilhar o que eu sei que a maioria tá pensando.

Fala comigo atletas: os treinos estão puxados, né? 3 ou 4 vezes na semana? O treinador tá até tentando segurar a onda, mas vocês já fizeram a tabela toda com a chave montada até a final sendo bem otimista e colocando vocês lá. Podem admitir! Tá torcendo pra não ser você aquele que por conta do jogo aparece de muleta no meio da festa, né? Já fizeram as contas de que dia podem beber liberado no open bar e de que dia vão ter que “pegar leve” na festinha à noite? Já estão pensando no quão cedo vão acordar pra ir jogar, mas que “tá de boa porque dá pra ir dormindo do aloja pro lugar do jogo, chego lá novo!”. Um ano de treino, campeonatos, tudo colocado pra jogo (literalmente) agora, ao vivo e com a torcida ficando rouca enquanto o bandeirão balança. Arrepiou só de lembrar, né?

Ooo cheerleaders, e vocês? Já cansaram de escutar a música do dia da apresentação e até tomaram um pouco de “irc” dela? De quando estarem de bobeira se pegarem repassando a coreografia na cabeça? 5, 6, 7 e 8… Acalmem-se que no final vocês não vão errar ou cair na hora de completar o salto, nem esquecer a coreografia. Vocês vão estar plenas e fazerem parecer fácil um negócio que é difícil demais. Porque duvido que pular alto/segurar no alto daquele jeito e ficar equilibrada numa perna só naquela altura seja de boa.

Alô Bateria! Já viram quantas vezes os vídeos dos desafios das concorrentes de vocês, hein? Conseguiram ajustar aquele compasso que sempre dava um errozinho? O ritmo da apresentação não tá saindo da cabeça, o braço até deu uma crescida de tanto segurar instrumento e batucar nos momentos mais aleatórios do dia. Já tão se achando quase membros do Olodum. Desafio de bateria é o único outro momento que conseguem reunir quase todo o evento, fora a festa à noite. A pressão é forte, mas o resultado é incrível. Várias horas ensaiando para uma apresentação que parece passar em segundos. E o mesmo vale pra vocês o que eu disse pras cheers: fazem parecer fácil, o que não é.

Oi Diretoria! De vocês eu tenho pena, porque sei bem como é. Tá aqui a galera que não tem dormido bem nesse último mês e só vai conseguir completar 8h de sono no dia seguinte que acabar o jogos! Você dorme e quando acorda o grupo da diretoria tá com 135 mensagens não lidas. “Tá tudo certo com o ônibus?” “As canecas vão ser postadas quando?” “A cor da camisa que eu queria não era essa, manda mudar!” “Tá na hora de fechar as contas galera.” “Já viu direitinho com a mulher do hotel?” “Pode quantos no quarto?” “ACHO QUE EU VOU SURTAR!” “Responde fulana pra mim que ela não para de me perguntar uns negócios dos jogos, não aguento mais.” “Os tamanhos da sambas não tão certos, o que a gente faz agora?” “Calma que pra tudo a gente dá um jeito galera. TÁ CHEGANDO PO**A!”. Ééé… relaxa que quando você chegar lá vai dar uma piorada, mas na hora que ver todo mundo vestindo as cores da sua Atlética você vai até emocionar, e se vocês forem campeões então… o choro vai ser certo! Jogos é época de mostrar que sua gestão deu certo, que vocês tão fazendo acontecer por mais cansativo que seja, é por momentos assim que vocês tão lá.

Por fim, e não menos importante: galera da esbórnia tá presente? Aqueles que tão indo pra fazer aquele furdunço e a baguncinha booooa que a gente conhece (e gosta pouco), que tão indo pra ficar todos os dias na festa até o segurança passar com a corda e ainda assim arrependidos de não terem enchido a caneca uma última vez (como se não estivessem bêbados o suficiente), que vão assistir as partidas, pintar a cara toda das cores da atléticas, perder a voz gritando o hino (ou só xingando o time adversário mesmo-rivalidade saudável né, dizem), vão descobrir quem é da diretoria da atlética só na hora do ônibus quando eles passarem conferindo. Vou contar um negócio pra vocês, seus pequenos fanfarrões: vocês FAZEM o rolê! Não vem me dizer que “ah, eu tenho muita coisa pra fazer até a data dos jogos, tô nem pensando nisso direito não” que eu sei que você já separou todas as roupas e looks, já mandou lavar a coleção de camisas de atlética e as sambas canção, já escolheu a fantasia e falou que a desse ano, a sua (ou a do grupo) ia ser a mais maneira, mas não ia falar o que era pra deixar surpresa. O Tinder voltou pro seu celular, né? A barraca emprestada, já conseguiu? E o colchão (que você vai descobrir que tá furado só lá), já arrumou? Prepara que vão ser dias intensos que vão fazer vocês perderem uns 4 anos de vida por conta deles.

CARA, já deu pra ver que eu tô ansiosa, né? Desabafei. Boa sorte pra lidarem com o monstro da ansiedade até o dia. Galera do Engenharíadas Mineiro, a gente se vê por lá! Agora, pra acabar, vou contar uma notícia pra acalmar esses corações aflitos: FALTAM 15 DIAS PORR*!

Ps: agradecer meu amigo Henrique Coutinho da Engenharia da UFMG, que como atleta, musicista de bateria, cheerleader, modelo, ator e cantor me ajudou nesse post com uns detalhes muito bons!

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here