Os jogos universitários são os dias e os momentos mais aguardados pelos atletas e demais alunos das faculdades e universidades participantes. Sem dúvida, ir aos jogos representa muito mais que integração e festa. Ir aos jogos representa mostrar para o que sua atlética veio e o quanto vocês se dedicaram para aquele momento, deixando o legado na cidade-sede e na edição daquele ano.

Neste ano de 2017, vários jogos já rolaram e, dentre eles, os Jogos Jurídicos Paranaense, Engenharíadas Paranaense e Engenharíadas Mineiro. Para os meses seguintes ainda há muitos outros jogos para acontecer, em especial a primeira edição do Engenharíadas Sul e o Jogos Jurídicos Mineiro.

Pensando nisso, hoje o Integraê junto aos Presidentes das atléticas vencedoras, vai contar pra você como construir uma atlética campeã por meio do depoimento de cada um. Saca só.

Tamiris – Presidente PUC MINAS, Campeã Geral da 1ª Divisão do JJM 2016!

“Em 2015 quando virei presidente, a gestão era composta por mim e mais sete diretores, onde seis eram atletas, mas tínhamos o pensamento homogêneo que a base de qualquer atlética é o esporte e temos que focar ali. Porém, não podíamos deixar de olhar pra diretoria de eventos, de marketing, de bateria, até porque um complementa o outro.

A partir desse pensamento conseguimos ter um maior diálogo com as equipes, ganhamos a confiança deles e todos entraram na luta pra ganhar da federal. O Lucas Burgarelli, nosso diretor de esportes, vivia no Complexo da PUC acompanhando pessoalmente todos os times, onde treinávamos as equipes 3x na semana, buscamos treinadores para cada equipe (o que antes não tinha), chegamos a abrir o Complexo da PUC aos domingos (pagando para os funcionários) para conseguirmos ter mais um dia para treinar. Foi feito um calendário esportivo onde tinha os treinos, amistosos e os desafios (onde convidamos uma atlética para ir ao complexo e disputar todas as modalidades). Fomos assim, para os Jogos de Uberaba, sabíamos como estava cada equipe, nos preparamos bem, mas por falta de experiência em alguns pontos perdemos por 6 pontos.

No início de 2016, começamos tudo de novo. Continuamos o trabalho assim, fizemos cartazes, fomos de sala em sala, em todos os sete Campus da PUC, conversamos com os coordenadores do curso para abonar faltas dos atletas em dia de amistosos, campeonato e JJ e assim, ganhamos a confiança também da instituição. Continuamos a treinar 3x por semana, a gestão havia mudado um pouco, mas o pensamento de continuar acompanhando de perto as equipes, ficou.

Com essa mudança e a divulgação que fizemos, não conseguimos apenas ganhar mais atletas e a confiança da instituição, mas ganhamos o apoio de todas as pessoas, levamos 1.030 pessoas nos JJM de Ipatinga em 2016, e foi um sensação que não dá pra descrever.

Nos organizamos em diretorias e cada diretoria tinha o seu corpo de colaboradores, a partir dessas pessoas, conseguimos nos preparar para alcançar todos esses setores do esporte e dar um suporte maior a eles e às 1.030 pessoas que levamos, pois queríamos fazer o melhor jogos para cada um que estava lá.

Foi exatamente os jogos, onde batemos todos os recordes. Fomos para todas as finais, onde ganhamos da federal que vencia há 8 anos e nossa charanga foi tetracampeã. Pelo menos na semana que antecede os JJM e durante, abrimos mão da nossa vida pessoal (onde que muitas das vezes, a atlética já é mais que pessoal), e não dormimos e nem comemos direito para conseguir isso, sermos campeões”.

José Gabriel – Presidente UFV, Campeã da 1ª Divisão do EM 2017!

“A estrutura esportiva da UFV é um pouco deficiente. Tendo em vista isso, buscamos parceria com uma escola pública da cidade para que nós pudéssemos ter uma quadra melhor para treino. Assim os atletas acabaram se empolgando mais e se entregando ao movimento.

Fizemos questão também de que nossos atletas tenham um gigantesco sentimento de pertencimento, que sejam apaixonado pela atlética. E não só eles, valorizamos muito a nossa torcida também: a febre maculosa, que sem dúvida ajuda muito nos jogos. Criamos uma campanha e fizemos um marketing espetacular: #JuntosSeremosAMelhor.

Acredito que isso despertou em cada um uma vontade a mais de sermos campões, sabíamos do nosso potencial, apesar de nunca termos alcançado esse título. Então todos deram seu máximo. Times treinando aos finais de semana, sexta à noite e tal. Como disse lá em cima, a UFV tem uma estrutura esportiva um pouco fraca, então demos um jeito de arrecadar mais fundos e investir em material esportivo. Compramos bolas novas, uma mesa para tênis de mesa, tatame para os cheerleaders, e isso ajudou a dar mais um incentivo também.

Uma coisa que acabou dando muito certo foi a forma que conseguimos atingir os calouros deste ano. Alguns times precisavam ser melhorados e uma forma perfeita para suprir isso foi mostrar a atlética para quem estava chegando na universidade, muitos se encantaram, foram até o evento e nos ajudaram com o título.

Além disso, nos preocupamos também com os nossos atletas fora de quadra, fizemos um evento chamado “Até o final”: foram palestras grátis falando um pouco sobre a psicologia no esporte, como se preparar para uma competição é despertar um sentimento maior de que não iríamos desistir facilmente, que realmente iríamos até o final”.

Matheus – Presidente UFMT, Campeã da 2ª divisão do EM 2017!

A diretoria da atlética é dividida em diversas ramificações: marketing, patrimônio, tesouraria, eventos, secretaria, bateria, cheers e esportivo, todas com seus respectivos diretores e dentro delas também tem ramificações, a fim de otimizar o trabalho, sendo tudo controlado pelo presidente. Mas mesmo tendo todas essas ramificações, no final todos trabalhamos em prol de um desenvolvimento do esportivo da atlética, já que sem ele nada disso existiria. E todos esse trabalho da atlética em prol do esportivo, faz com que consigamos ter ótimos resultados nos torneio que participamos.

Dentro da Turuna nós temos o que chamamos de alas, que são 3: bateria, cheers e esportivo, e mesmo que o esportivo seja o foco principal da atlética, em hora nenhuma deixamos de lado as outras alas (bateria e cheers), afinal elas também são partes importantes da atlética e que tem se desenvolvido muito bem nos últimos anos, chegando a ganhar competições em torneios que participamos.

Mas voltando a falar do esportivo, é muito importante o trabalho do marketing para os alunos dos cursos, então, além de quem produz as artes de divulgação, precisa também daqueles que divulguem elas. Dentro da diretoria temos pessoas em cada curso responsáveis por isso: fazer esse elo entre a diretoria e os alunos de cada curso. Portanto, esse trabalho de manter as pessoas animadas com a atlética e ainda fazer os calouros abraçarem a causa quando entram na faculdade, talvez seja o trabalho mais difícil e mais importante de se fazer dentro da atlética, afinal, quanto mais pessoas participarem da dela, mais atletas eu tenho, o que faz com que tenha uma grande disponibilidade de pessoas (concorrência) e isso eleva o nível do esportivo, levando a uma disputa saudável dentro da atlética, até porque todos querem ir pra competição trazer um ouro pra casa.

Outro fator muito importante é a disponibilidade de uma comissão técnica competente naquilo que faz, que saibam conduzir os treinos semanais e que também ajudam a motivar os atletas a participarem de treinos e competições. Além disso, é necessário ser dado uma atenção especial em todas as modalidades que tem nos torneios que participamos, pois, se formos fortes em praticamente todas as modalidades, já é uma garantia de uma boa colocação em torneio.

Todo esse trabalho em prol do desenvolvimento da atlética como um todo e principalmente do esportivo faz com que nossa participação em torneios universitários sejam recompensadas.

Esse ano, a Turuna participa de três torneios universitários, do JUMT (Jogos Universitários de Mato Grosso), do EM (Engenharíadas Mineiro) e do TECO (Torneio das Engenharias do Centro Oeste). Dos três torneio deste ano, já fomos campeões de dois, do JUMT (que ocorreu no final de abril e começo de maio) e da série da B do EM (que ocorreu em junho), agora estamos trabalhando em busca do título no nosso último torneio do ano, o TECO (que irá ocorrer em novembro). Então, todos os projetos que estamos realizando agora são com foco total na busca do título geral deste torneio”.

Guilherme Daldim – Presidente UEPG, Campeão da 2ª Divisão do EP!

“Nosso planejamento para o EP 2017, começou bem cedo, logo após o EP 2016, onde nós não conseguimos o acesso para a primeira divisão. Assim, quando voltamos para Ponta Grossa, sabíamos que tínhamos de fazer algo diferente e aí começamos a traçar nosso planejamento. Como todo ano, depois de um EP, aqui na UEPG, entram os calouros da diretoria para que eles tenham experiência no JOIA-PG antes de ir para um Engenharíadas como diretor. Então, os novos nomes chegaram e eles foram aprendendo muito ao longo desse ano até o EP 2017. Em janeiro, quando assumi a presidência da atlética, eu já conhecia bem todos da minha diretoria e, o mais importante, eu confiava no meu time, e ainda confio em cada um deles. Eu julgo isso como um dos principais pontos para se alcançar algo.

Seguindo com o planejamento, tínhamos que melhorar em relação aos treinos, assim, todos os diretores, e principalmente, os de esporte e os coordenadores de modalidades, conseguiram quadras e horários para que todos nossos atletas se preparassem para nós conseguirmos nosso principal objetivo. Todas as modalidades tinham, pelo menos, um treino na semana, isso fez com que nosso atletas chegassem bem fisicamente na competição.

Outro ponto que considero importante, era resgatar nossa galera que estava um pouco afastada depois de não ter conseguido o acesso em 2016 e de não ter ganhado o JOIA do mesmo ano. Assim, nosso foco para resgatar a galera eram a nossa boa divulgação do EP e dos nossos eventos, onde podíamos conversar com todos, vendo a possibilidade de cada um ir pro Engenharíadas, porque sabíamos que todos seriam importantes, mas principalmente, nossos atletas que deram o sangue dentro da quadra, não pararam de correr, de marcar, de suar, de gritar, para que nosso tão sonhado objetivo fosse alcançado.  

Assim, com o esforço de todos a recompensa veio, vencemos mais esse desafio, nos fortalecemos muito com essa conquista. E a nossa tão amada Atlética Los Bravos UEPG, voltou ao lugar de onde nunca devíamos ter saído, a primeira divisão do Engenharíadas Paranaense e melhor ainda, sendo campeão da segundona. Essa conquista nos faz ter ainda mais amor a essa camisa que vestimos. Só quem veste essa camisa sabe como é esse sentimento, indescritível, por fim, ‘Eu sou Los Bravos e isso basta’”.

Luiz – Presidente UEL, Campeã da 1ª divisão do JJPR 2017!

Primeiro: aumentar o tempo de treino. O fato do JJPR ter sido em junho permitiu que a gente conseguisse treinar muito mais do que estávamos acostumados, formando times mais entrosados e atletas mais preparados.

Segundo: organização interna. O resultado de uma atlética na competição, além do desempenho dos atletas, reflete muito o desempenho da diretoria. Uma diretoria boa e bem organizada gera bons frutos sempre. Dividir funções e deixar cada diretor trabalhar na sua área otimiza o trabalho.

Terceiro: caça por atletas. Divulgamos nossos treinos como nunca antes, o que nos permitiu descobrir mais novos atletas do que de costume.

Quarto: torcida e bateria. Levamos nossa maior delegação da história, e é um fator que muda muito o sentimento dos jogadores dentro de quadra. Ouvir a Tatukada tocando e a torcida cantando os hinos motiva qualquer um.

Quinto: Fator Maringá. Embora o lugar nunca tenha sido um quesito extremamente decisivo pra títulos, neste ano, o fato da cidade-sede escolhida ter sido Maringá possibilitou a ida de muitos atletas que tem dificuldade em viajar, aliado a vontade em buscar o tetracampeonato na cidade rival impulsou a UEL a subir mais um vez no pódio”. 

Cada depoimento sensacional, né? Eles mostram o quanto essas atléticas deram duro para chegarem onde chegaram e que, com toda a certeza, sem o apoio da diretoria e sem o incentivo ao esporte, nada disso teria acontecido.

O Integraê parabeniza as Atléticas campeãs não apenas dos jogos citados acima, mas todos os jogos. Parabeniza também não só as Atléticas campeãs, mas todas que de alguma forma lutaram e deram seu melhor nos jogos, incentivam a prática esportiva e se doaram pelo amor à cor da camisa.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here