Aqui no blog vocês já viram muitos posts legais sobre atléticas e sobre jogos universitários, mas você sabe o que é uma Liga das Atléticas? Como funcionam as reuniões? Fica ligado que aqui você vai aprender tudo isso e ver porque sua atlética deve fazer parte de uma liga!

Afinal, o que é uma Liga das Atléticas?

        As Ligas das Atléticas são organizações sem fins lucrativos compostas por Associações Atléticas Acadêmicas (AAA’s). Existem ligas de uma mesma universidade, de uma mesma região e até mesmo ligas nacionais, com atléticas de diferentes locais do país. Algumas têm como associadas apenas atléticas de um determinado curso, outras já não possuem essa restrição. Resumindo, cada liga estabelece seus próprios critérios para delimitar quais atléticas podem se associar. As atléticas podem associar-se a quantas ligas acharem conveniente, não sendo necessário participar exclusivamente de uma.

        Essas ligas se reúnem periodicamente, sendo as atléticas-membros representadas em reunião pelos seus diretores. Assim, como ocorre nas atléticas, a liga é tocada por estudantes universitários (não tendo uma gestão profissional, com pessoas que trabalhem exclusivamente na direção da liga).

Tá, mas e o que é discutido na reunião da liga?

        São discutidas em reunião pautas pertinentes às atléticas que compõem a liga. É comum que as ligas das atléticas tenham como objetivo principal a organização e execução de jogos universitários (aqueles que tanto curtimos e amamos), fazendo com que boa parte das reuniões (se não todas) de muitas ligas sejam voltadas para discutir seu formato, os regulamentos, as empresas envolvidas, os modelos de festas e infinitos outros aspectos essenciais para que os jogos correspondam às expectativas do público e às necessidades das atléticas participantes, buscando melhorar a cada edição. Não acho exagero dizer que os jogos são o assunto mais debatidos nas ligas das atléticas. Há muitas horas de discussão, trabalho e dedicação para que tudo saia o mais perfeito possível nos três ou quatro dias mais aguardados do ano!

        Embora muita gente fique surpresa quando escuta isso, as atléticas não existem apenas para festas e esportes. O aspecto social das atléticas também costuma ser muito debatido nas ligas de atléticas. Não é raro que sejam colocados em pauta projetos sociais e culturais, além de campanhas de conscientização. Normalmente são ideias trazidas por representantes de uma atlética e debatidas por todos presentes, para que se tenha um maior alcance, relevância e efetividade na hora de colocá-las em prática (uma campanha de arrecadação, por exemplo, ganha muita força quando divulgada pelas várias atléticas participantes de uma liga).

        Por fim (e acredito eu, menos comum que os pontos acima, mas não menos importante), as ligas das atléticas existem para ajudar as atléticas a crescerem cada vez mais. É um espaço que elas têm para serem ouvidas e discutirem soluções para os problemas que elas enfrentam. É função das ligas (dentro de suas finalidades e de suas possibilidades de atuação) ajudar no que for pertinente.

Liga2

Nossa, as ligas fazem mesmo muita coisa. Mas como elas funcionam?

        Não existe uma regra geral para o funcionamento das ligas das atléticas. Cada uma se organiza da maneira que melhor se adeque à sua realidade e seu contexto, obedecendo sempre o disposto em seu estatuto social. Os cargos descritos em estatuto são chamados de “mesa diretora”, (fazendo o paralelo, seriam mais ou menos como a gestão de uma atlética). Cargos muito comuns nas mesas diretoras das ligas são presidente, vice-presidente, secretário e tesoureiro.

        Esses costumam ser preenchidos por meio de eleições, nas quais as atléticas que compõem a liga votam e escolhem entre os candidatos previamente inscritos para mandatos de prazo determinado. Esses candidatos são, na maior parte das vezes, membros da gestão das atléticas. Cada atlética pode ter apenas um membro eleito para a mesa diretora (ou seja: na “diretoria” da liga, não pode haver mais de uma pessoa de cada atlética), o que reforça o ideal de integração entre as atléticas e garante que uma única atlética não dite os rumos da liga inteira.

        As pautas discutidas em cada reunião são trazidas pelas atléticas e organizadas pela mesa diretora, que também é responsável pela convocatória daquelas. Nas reuniões há loooooooooooooongos debates, nos quais cabe à mesa ordenar as falas. Após os debates, as atléticas votam nas propostas feitas. Aquelas que obtém maioria, seguindo os critérios do estatuto, devem ser executadas. Quando se encerra uma pauta, inicia-se a discussão de outra. As reuniões seguem assim até que todas as pautas tenham sido discutidas e votadas (ou até que a reunião esgote a paciência e as energias de todos, ficando as pautas que sobrarem para a reunião seguinte). Como suas durações dependem diretamente do assunto debatido, há reuniões curtas e reuniões infinitas longas.

        Para evitar que os membros da mesa fiquem sobrecarregados (afinal, eles também possuem obrigações com suas atléticas, vida pessoal e faculdade), é comum que sejam formadas comissões para executar algumas decisões da liga. Essas comissões são formadas pelos diretores das atléticas associadas à liga e ficam responsáveis por encaminhar o que foi decidido em reunião e trazer às reuniões da liga o retorno de suas ações.

Nossa, mas vale a pena frequentar essas reuniões?

        Mais que uma oportunidade de representar sua atlética, estar presente nas reuniões é ter contato com as outras atléticas (e muitas vezes ganhar espaço para participar de jogos). Lá é possível aprender como elas funcionam, como outros diretores trabalham, criar contatos para amistosos, festas, eventos. Como são raros livros e artigos que tragam conhecimento específicos para serem utilizados nas atléticas, essa vivência é fundamental para o crescimento da associação e para a capacitação de seus diretores.

        Além disso, é uma chance de conhecer gente nova, de fora do seu curso, da sua universidade, mas todas elas tão apaixonadas por esse mundo das atléticas quanto você. É uma oportunidade única de ter contato com outros universitários.

        Com o tempo, os colegas vão virando amigos, as longas horas de reunião passam a ser um esquenta para uma saída com todos depois e todo esse trabalho passa a ser extremamente gratificante e recompensador. É nas ligas das atléticas que se aflora o espírito de integração presente nos jogos. É lá que as rivalidades são deixadas de lado e vemos que as atléticas não são tão diferentes assim umas das outras, ou melhor, as pessoas que trabalham nas atléticas não são tão diferentes assim umas das outras. São pessoas que dão o seu melhor, gastam horas e horas para tentar proporcionar aos colegas de faculdade experiências inesquecíveis, tudo isso sem nenhum ganho material em troca. Ficam satisfeitas ao ver os atletas treinarem, as festas da atlética cheias, ao ouvir a bateria tocando. São pessoas que esperam um ano por jogos universitários e quando eles chegam, sentem que passam num piscar de olhos.

        Tive a oportunidade de estar presente em muitas reuniões de liga e deixo para vocês minha humilde opinião: não só vale a pena, como é uma das experiências mais legais em ser da atlética.

Rodapé Blog Integraê - Victor

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta para Nadia Gomes Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here