A temporada de futebol na Europa chega à sua parte final e decisiva, contando assim com inúmeros destaques, diversas boas equipes, algumas grandes surpresas e trabalhos consistentes. Entre os bons trabalhos, um se destaca particularmente: o Manchester City (time de futebol de Manchester/ING) comandado pelo treinador espanhol Pep Guardiola e que lidera com folga a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol).

A equipe vem se destacando pelo futebol jogado, mas principalmente pelo trabalho consistente que vem acontecendo desde a última temporada, baseado nisso, pode-se listar alguns fatores que influenciam nesse sucesso atual e podem ser replicados em suas devidas escalas às A.A.A. que pretendem manter/realizar bons trabalhos nos próximos anos.

  1. Continuidade no trabalho

Algo que parece simples e óbvio, mas que é desprezado em grande parte das oportunidades devido aos resultados ruins, trocas de gestões ou outros fatores: a continuidade do trabalho.

Quando o Manchester City trouxe Guardiola, já se sabia que ele era o melhor treinador do mundo e com grande sucesso em seus dois trabalhos anteriores, mas ia para um novo desafio em uma equipe tão valiosa quanto, mas sem a tradição de ambas e em uma liga diferente, conhecida por ser a mais disputada do continente. O que não se esperava era uma temporada inicial sem taças – a primeira da vida do treinador – e com tantas turbulências. Diversos investimentos altos foram feitos, inclusive no treinador e a equipe não engrenou, fracassou em âmbito nacional e continental. Para 2017/2018, a equipe se reforçou, mas a base do trabalho foi mantida para esta temporada e a equipe chegou ao topo.

O trabalho em uma AAA, muitas vezes precisará de alguns investimentos iniciais que não trarão retornos instantâneos, mas são chaves para o sucesso futuro, como investimentos para contração de algum treinador ou utilização de algum centro de treinamento, assim como fortalecer equipes que não são tão fortes, trará gastos iniciais sem retorno em curto prazo, mas a continuidade do trabalho poderá tornar uma equipe não tão forte um time confiável e competitivo.

Muitas equipes são deixadas de lado pelas próprias AAA justamente por serem consideradas “piores”, mas não fazem projetos para seu fortalecimento. A estruturação de um bom projeto de trabalho para mais de um ano, ajuda atrair atletas e mantê-los firmes na equipe durante seu período acadêmico de quatro ou cinco anos, pois sabem que existem boas perspectivas de evolução tanto do time quanto individuais. Isso ajuda tanto na que estão na universidade quanto de estudantes que ao entrarem na universidade conhecem o esporte e começam a praticar modalidades.

Os problemas podem ocorrer por n motivos e o baixo rendimento de algumas modalidades pode ter uma ou mais explicações, mas encontrar o problema e trabalhar em cima visando o longo prazo é uma saída interessante e mais eficaz que projetos fugazes. E como o dinheiro não é abundante na maioria das AAA espalhadas pelo país, são cada vez mais importantes boas análises das gestões sobre a realidade em que atuam.

  1. Confiança na filosofia

Como os resultados não vêm facilmente e muitas vezes colocam trabalhos em xeque, a gestão da AAA tem que estar convicta da filosofia de trabalho para a continuidade, analisar desempenho e não resultados. No início, as campanhas podem não estar vindo como esperadas, mas se o desenvolvimento do trabalho está acontecendo como planejado não há porque desesperar-se, pois a melhora será natural.

Ainda falando do treinador do Bayern München (time de futebol de Munique/ALE), Gaurdiola afirmou que uma das coisas que ele não admitiria seria trair sua própria filosofia, pois a traiu uma vez ao deixar-se levar pela paixão e foi eliminado de maneira trágica da UEFA Champions League (a maior competição de clubes de futebol da Europa). A partir disso, reafirmou suas ideias e alegou que segue essa linha, pois o mais importante é praticar um jogo sabendo que fez o seu melhor e executou-o da forma que acredita ser a correta.

O papel de uma gestão de AAA é justamente esse, o de implementar uma filosofia de trabalho, tanto administrativo quanto esportivo, e segui-la durante seu período, utilizando-a como meio para alcançar o sucesso e delineando formas que mantenham-na pelas próximas gestões, passível de alterações, mas mantendo uma base que tornar-se-á com o tempo marca registrada da AAA e um dos motivos pela qual é conhecida.

Não há tipo ideal nem uma verdade absoluta sobre qual modelo de trabalho deve ser seguido, pois devem ser consideradas as particularidades econômicas e culturais de cada AAA para seu desenvolvimento. O certo é que deve ser adotado um modelo em que se confie e que esteja em sintonia com seus valores e ambições, com base nisso pode-se traçar um planejamento de evolução e avaliar o desempenho.

  1. Adaptação ao contexto

Uma das marcas registradas do treinador dentro e fora de campo e que pode ser notada também nesta temporada pela equipe de Manchester, é a versatilidade. Entendendo onde está e com quem trabalha, o treinador mostra uma capacidade de adaptação pouco usual. Dentro de campo, utiliza seus jogadores de acordo com suas condições e dos adversários, trabalha a equipe da melhor maneira pensando em cada ocasião. Já fora de campo sempre busca entender a cultura, a língua, a população, ou seja, as características do país em que está. Entende a ordem para implementar progresso.

Isso é importantíssimo para uma AAA que, diferente do treinador catalão, muitas vezes trabalha longe das condições ideais e sem tantos recursos financeiros, então precisa se adaptar a uma nova realidade. Problemas administrativos, de relacionamento ou de outra ordem podem minar a Atlética de um ano para o outro e a nova gestão pode assumir em condições não tão ideais, o que demanda capacidade para lidar com adversidades no início do trabalho.

Moldar um projeto de acordo com a grandeza da AAA é totalmente válido, mas não é útil se os recursos não permitem isso, almejar vencer uma competição, mas trabalhar em condições que não propiciam isso pode ter mais pontos negativos do que o contrário. É preciso trabalhar com os pés no chão e de acordo com o que se tem à mão, desenvolver bons times de acordo com seus recursos humanos, ainda mais em um universo que difere do esporte profissional e não permite contratações, buscar os melhores atletas de seus adversários. Voltando aos tópicos anteriores, fatores como treinadores, centros de treinamento, apoio com materiais, entre outros podem ajudar atletas com habilidades x se desenvolverem para x+1 e formarem boas equipes.

E como o espanhol demonstra, qualquer ideia é válida e deve ser utilizada, não é demérito fazer uso por ela ser de outra pessoa ou banal, mas ideias servem para ser moldadas, modificadas e desenvolvidas. Uma ideia, adaptada a diferentes contextos pode produzir resultados diferentes e gratificantes.

Ideias podem ser adaptadas

Portanto, diversos pontos podem ser considerados em relação à Guardiola ao falar-se de esporte em geral, afinal foi ele quem revolucionou o futebol na última década e é exemplo para diversos segmentos. No universo das AAA, também pode ser utilizado para aspectos dentro ou fora do jogo, o certo é que trouxe e remodelou alguns aspectos fundamentais do esporte como continuidade, filosofia e adaptação, e estes são fundamentais para uma base de sucesso esportivo.

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here