Pra quem pensa que jogos é só festa, tá muito enganado. Quem nunca teve um problema antes, durante ou depois de um jogos? Seja atleta, torcedor, bateria ou diretor, todos nós passamos por perrengues. Uns maiores, outros menores, mas sempre há um problema, seja por nossa culpa ou culpa do acaso. Algumas experiências dessas ficam marcadas, negativamente ou pelo sucesso obtido ao resolver esse b.o. Então se liga aí nessas experiências que podem acontecer com qualquer um.

Viagem:

A viagem é o começo de tudo, e assim como em todos os outros fatores que envolvem a competição, a viagem também tem perrengues. O excesso de bagagem que algumas vezes fazem sua mala, mochila ou até mesmo o colchão irem em cima de você no ônibus/carro que você está.

Pra quem curte dormir na viagem, o ônibus não é uma boa opção. O ânimo pré-jogos está a flor da pele na galera, que algumas vezes não contente apenas com o  ânimo, acrescentam aquele goró algo a mais. Dormir é para os fracos… ou para os fortes.

Alojamento:

O alojamento. Sempre uma incógnita, mas sempre com problemas. Quem nunca pegou um lugar ruim num aloja? Seja dentro dos barracões/salas apenas com colchões ou do lado de fora com suas barracas, todos enfrentam problemas. Se você opta pela barraca, você corre o risco de ficar onde bata sol ou que faça muito frio. Se você opta pelo colchão, pode ser que fique onde passa gente a todo momento ou até mesmo ficar longe de tomada (as meninas amantes dos secadores de cabelo sabem bem disso).

O sono é um problema não só no ônibus, mas também no alojamento. Todo aloja tem os adeptos do “Nunca mais eu vou dormir”, o que dificulta a vida dos que levam o sono como algo sagrado. Às vezes, por incrível que pareça, a melhor opção é dormir à noite. Mas quem quer faltar nas festas mesmo?

Banheiros. Aaaaah os banheiros. Filas, água gelada e falta de higiene são perrengues que todos já passaram em pelo menos um jogos que foi na vida. Regra número um: Não tomarás banho sem chinelo. Jamais.

Jogos/competições:

Além das derrotas, há algumas coisas que fazem as competições esportivas serem um problema para alguns. A começar pelas contusões. Se machucar não é bom em situação nenhuma, agora imagina se contundir durante os jogos. Além de, na maioria das situações, o atleta perder o resto das competições, ele(a) pode também perder as festas e tudo mais que os jogos tem a oferecer, dependendo da gravidade da lesão.

Os atrasos são problemas que afetam não só jogadores, mas também torcedores e principalmente comissão organizadora (que estará fazendo de tudo para resolver esse problema).

A bateria, apesar de sentir prazer em tocar durante os jogos, também sofre com eles. Carregar instrumentos de lá para cá, ficar segurando o instrumento durante todo o jogo (ou o dia) e ainda ter que animar os desanimados são alguns problemas enfrentados pelas nossas amadas baterias.

Festas noturnas:

As festas, quem nunca teve um problema numa festa? Amigos (ou você mesmo) enchendo a cara e dando trabalho com certeza pode ser um perrengue. Ir para o ambulatório no meio de uma festa não é nada agradável para quem exagerou ou para quem está acompanhando.

O frio pode ser outro problema. Quando chegamos nos alojamentos dos jogos da tarde ou da tenda/arena que rolou, nosso corpo está quente, e às vezes perdemos a noção da temperatura. Levando tudo isso em consideração, achamos que não está frio e vamos sem aquela blusa necessária para a festa, e quando percebemos estamos passando aquele frio chato. Mas, lembre-se: Ir embora da festa não é uma opção. O corote sim, pode ser uma boa opção.

Para os “sem fim”, a hora que a festa acaba é sempre um problema, e dos mais graves. Resistir às luzes se acendendo, aos seguranças fazendo aquele cordão e finalmente aquela subida, animada ou não, no ônibus são perrengues difíceis de se enfrentarem. Boa sorte pra quem acha que vai dormir no alojamento.

Diretoria/comissão organizadora:

Os perrengues “necessários”. Reuniões intermináveis madrugadas adentro, representações na hora que sua galera ta indo pra tenda/arena ou jogos da tarde ou dias intermináveis de jogos (CO que o diga) são perrengues que às vezes nem mesmo quem está participando dos jogos (atleta, torcedor e bateria) conseguem enxergar. Só essa galera sabe toda a correria que é pra fazer o role acontecer. Abrir mão da diversão para sua atlética se divertir é um perrengue, mas o prazer que temos ao ver no final que tudo deu certo, é algo indescritível.

Pós-jogos:

Talvez a parte mais difícil. Saber que, junto com o final, vem também alguns obstáculos a serem enfrentados. Gripe, resfriado, febre ou até algo mais grave sempre vem junto com os jogos. Se você nunca teve algum problema de saúde pós jogos, erga a mão para o céu, pois é algo que vem junto no pacote.

Cansaço é algo difícil de se enfrentar nesse período, principalmente para a galera que trabalha ou que tem provas nos dias seguintes ao jogos. Voltar a rotina e pegar no tranco é algo extremamente difícil depois de dias turbulentos.

Outro perrengue comum pós jogos, são as roupas sujas que a competição trás. Quem mora sozinho ou quem tem aquela mãe que reclama sempre, sabe como é difícil tirar aquela mistura de tinta, barro e as vezes até gliter da sua roupa. São dias de molho e horas de esfregação para limpar (ou tentar) o seu manto.

Então é isso, galera. Tenho certeza que lendo tudo isso vocês lembraram de algum perrengue que passaram e ou riram pra caralho ou choraram pra caralho ou fizeram os dois, não é fácil, mas desistir de jogos jamais!

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here