2017 nem bateu direito na nossa porta e os planejamentos anuais já começaram a todo vapor para as Atléticas. Para ser bem sincera, muitos deles começaram ainda em 2016 quando as gestões terminavam seus trabalhos e já passavam o bastão para os novos diretores.

E não é fácil largar o osso quando a gente gosta, né não?

Mas muitas Atléticas já se despediram de seus presidentes e deram lugar aos novos gestores que, com as aulas já soprando nos ouvidos, começaram a por em prática todo o conhecimento adquirido para dar vida ao novo ano que se inicia.

E aí a gente se pergunta: que horas essa galera aperta o play?           

Fato é que muitas vezes a rotatividade das Atléticas é muito grande, mas mesmo assim todas mantêm basicamente um planejamento anual simplificado e conforme o andar das coisas, estes vão se abrindo e se adequando à necessidade do momento e, na verdade, não existe um segredo além da organização e a chave de tudo que acontece: as datas.

Todos os jogos, cervejadas e eventos já fixados são dispostos em calendário, e a partir daí começa o “quebra cabeça” para somar as datas ao planejamento financeiro que anda grudado com todos os eventos, afinal nós vivemos em uma simples e rápida historinha que diz “festa junta dinheiro, que leva para jogos, que acaba com todo dinheiro e precisa de festa de novo”. No meio dessa história, às vezes fazemos alguns milagres como sistemas de associação ou uma venda ou outra de produtos que acabam salvando e possibilitando alguns planos. Às vezes aparece também umas fadas encantadas mais conhecidas como patrocinadores que nos ajudam a respirar mais aliviados.

Mas para quem lê assim resumido, parece simples, né? Pois não é. O grande desafio do planejamento de uma Atlética não é simplesmente organizar e alinhar as datas, mas trabalhar com as estatísticas, suposições e as surpresas que cada coisa realizada enfrenta. Lidar com gente, fornecedor atrasado e galera brava, muitas vezes põe à prova o nosso trabalho, mas saibam que também planejamos tudo isso, hein! E por isso a gente aguenta sorrindo e acenando (como diria o Capitão, hahahaha).

E no meio dessa verdadeira corrida pelo dinheiro, as diretorias vão dando vida às quadras quase sempre financiadas pela tesouraria, vendem rifas de kit de beleza barato com o mesmo discurso chato de “ah, mas você comprou do fulano”, vão fortalecendo, treino a treino, sonhos de títulos e conquistas e quebrando a cabeça quase todos os dias do ano para continuar em frente, afinal o que move uma atlética é o esporte e mesmo que ele custe muito tempo e dinheiro, ele se reverte em realização.

Assim, contrariando o ditado de que “se conselho fosse bom não se dava, vendia”, minha dica de ouro é se atentar sempre às datas, principalmente nesse começo de ano onde sempre tem aquela avalanche de novidades, cervejadas, centros acadêmicos vendendo “n” produtos e mais várias coisas que aparecem e se encaixam no que eu disse sobre suposições e surpresas. Um bom planejamento de datas garante um ano trabalhável e sob controle para sua Atlética. Some isso tudo com criatividade e inovação, que o sucesso de sua gestão vai estar garantido!

Então, play em 2017, galera, e que os planejamentos comecem, pois só com um plano muito bem direcionado aos objetivos que a evolução é alcançada!

7515 - Rodapé Blog Integraê - jose

Tweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here